21
Jul 10
HOR(A) OSCOPO (S) Ele andava mesmo em baixo de todo. Constantemente estava deprimido, aborrecido, era uma companhia indesejável e não era para menos, sempre a queixar--se da sua falta de sorte. Em tudo que se metia “ia por água abaixo”. Quando se via mais apertado, comprava uma cautela na esperança de um chorudo prémio. Jogava no totobola, no totoloto, e até no Euro-Milhões. Mas que raio, nunca acertava ou quando muito lá vinha o último prémio, dois três Euros ou na cautela a terminação. Se isso acontecia, raras vezes, podia considerar-se dia de festa. Dizia esta semana é que vai ser, vou jogar de borla, e assim se contentava. Certa vez a sorte quase o rondou. Viu o número da suada massa que tinha dispendido ser devolvido, com ganho e pensou a “mala pata” finalmente foi arredada. Jubiloso correu a ver a sua sorte e, na tabela lá estava o seu número, só que era mais pequenino, era o último. Remédio santo, na lotaria jamais jogou pensando que afinal a ter sorte, seria sempre uma pequenina e “ora bolas” para “pequeno remédio”, mais vale estar parado. Os amigos concordavam que era afinal um “gajo”, com pouca sorte. Poderia a tabela estar ter virado para cima e assim teria embolsado um chorudo dinheirinho. Um amigo de “Peniche”, aconselhou-o a consultar um vidente, cartomante e ele conhecia um que era infalível, tanto nas cartas, nas conchas ou na bola de cristal. Se quisesse arranjava-lhe uma consulta e com umas rezas e umas “mézinhas” a “mala pata” desaparecia, era certo, certíssimo, tão certo, como “dois e dois serem quatro”. Ele, apesar de queixa de má sorte, não era atreito a tais remédios, não acreditava, mas amigo tanto o cansou, tanto o insistiu com o conselho, que só para que não ficasse mal visto e mal agradecido, lá resolveu aceitar o jeito do amigo aceitando a recomendação, julgando que com ela, a consulta seria de borla. Lá foi procurar o feiticeiro, vidente e escamoteador de males de inveja e má sorte. Num primeiro andar de uma bela moradia, com o luxo de um consultório onde não faltavam estantes repletas de feitiços afastadores de “maus olhares” e quejandos males, como a falta de dinheiro, de amores mal compreendidos, e toda a caterva que doenças que afligem os habituais clientes que sustentam com os seus desembolsos, aquele “luxo a rico e à francesa”. Depois de uma desesperante espera, os lorpas eram muitos, e a sua vez chegou finalmente. Esperava-o uma intrigante figura de turbante, tipo oriental, e na mesa que se interponha entre o infeliz e o sortudo e bem inchado vidente e conselheiro, bem afanado e com uma proeminente barriga, comodamente instalado num sofá de boa pele de tigre, principiou com a sua lengalenga, estudada previamente, sobre o desventurado cliente. Escabichou a vida do infeliz que lhe caiu do céu, e pensou em o esfolar, até à medula, tendo em mente que teria de compensar o comissionista que o tinha indicado para dar a felicidade no amor, a riqueza e o bem estar daquele pobre diabo. Primeiro lançou as cartas sobre o tampo da mesa, delicadamente ilustrado com figuras mitológicas e arabescos. Alinhadas, mostrando a primeira ao cliente, afirmou, com o palavriado costumeiro, de que a sua vida estava de facto a correr mal, mas logo na seguinte, já vaticinava, dizia ele, a melhoraria. E a lengalenga ia correndo ao sabor das cartas, lengalenga que cada carta ia profetizando mudança na sua vida. Julgando ingenuidade do cliente, pergunta e mais pergunta, para se inteirar, por ele mesmo o que queria saber para depois desembuchar como, se de facto, por poderes mágicos o soubesse. Lança as conchas, reluzentes de madre pérola, e a magia iam seguindo. A coisa estava a melhorar, mas para isso era necessário que se concentrasse, respondendo mais sucintamente as suas perguntas. Sabendo já tudo, ou quase tudo, deixou a última pergunta: :- Qual o mês do seu nascimento ? :- Agosto ! :- Há! Muito bem ! É um mês propício à felicidade ! Você é VIRGEM ! :- Eu, VIRGEM? Pode lá ser ? TENHO QUINZE FILHOS ! Mais valia ter ido beber uns copos ao Zé das Letras!!!... Ficava mais animado e confortado!!!...
publicado por Varziano às 19:53

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
22

25
26
27
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO