12
Jul 10
FLAGRANTES DA VIDA REAL RECEITA MEDICINAL Dores constantes, mau estar a toda a hora, rabujice e outras más disposições do Zé da Aurora, levaram a que tia Aurora, procurasse o médico e lhe expusesse o estado do seu “home”. :- Então o que a traz por cá, senhora Aurora ? - Se “dotor”, o meu “home” não anda nada bem. É todo o dia a queixar-se, é a toda a hora, amarrado à barriga, e vai daí “num tenho uma horinha de sossego”. Queria ver se o se “dotor”, lhe dava um remédio para o curar. Eu queria trazê-lo. Mas ele teimoso que nem um burro, não quis, diz que “isto passa”, mas já vão um ror de dias e “num” ata nem desata. :-Olhe lá, ele faz bem ? Isto é não está preso ? - Isso não sei bem, mas parece-me que ele vai de vez em quando à casinha. - Bom pergunte-lhe e sempre será bom fazer uma limpeza aos intestinos. - A quê, se “dotor” ? - À tripa. Você tem lá em casa um irrigador ? - “Atão, num” devia de ter ; é coisa que sempre o uso. - Então lance dentro uma canada de água, e junte-lhe uma colher de azeite e depois com cuidado, meta-lhe a cánula no rabo e ele que aguente um pouco e assim deve melhorar. Por certo é prisão de ventre. Percebeu ? E amanhã diga alguma coisa. No dia seguinte a tia Aurora aparece, muito consumida, e o médico pensando que alguma coisa tinha corrido mal, interroga-o : -Então o seu marido está melhor ? - Se “dotor” está na mesma ? - Não lhe deu o clister ? - Ó se “dotor”, eu bem queria mas ele dizia “ó mulher tu não vês que isso não cabe?” Bem “tentei”, mas ele não deixou. -Ó mulher como não cabe, que é que usou ? -Se “dotor”, em bem despejei a canada de água e a colher de azeite, mas não valeu de nada. Teimoso não deixou que fizesse aquilo que mandou. -Mas a cánula é tão fina, como é que não cabia ? Onde é que você arranjou o irrigador? -Foi no quintal, o de regar as “coivas”.
publicado por Varziano às 14:46

A CULPA FOI DO BANDALHO Aflita a mulher do Tone da Rasca, como o seu “home” há dias andava à rasca, dando azo à sua alcunha, com uma enorme diarreia, tomou a peito tratar do seu mal e procurou um médico, arrastando-o, contra sua vontade até ao hospital, Chegados à consulta um velho e experimentado médico, ouviu com atenção o seu rude linguajar. Sujeito a várias perguntas lá foi confessando ao facultativo o seu mal. Há dias, depois de uma “borga”, tinha bebido uma mixórdia qualquer a acompanhar um cozido de “bandalho” (1), que tinham apanhado nas redes depois de vários dias de intenso temporal. Talvez, tenha sido o raio do “bandalho” que lhe tinha dado cabo das tripas e, agora era um correr para se aliviar. O bom do médico, comovido com a maneira que tanto a mulher, por simpatia e, o Tone da Rasca, por má experiência, estavam atrapalhados, perguntou ao Tone: -Olhe lá. Quantas vezes ao dia você vai ao banheiro ? -Como, se “dotor” ? -Sim, quantas vezes vai ao W.C ? Ora, para o rude homem do mar, era uma linguagem que ele não entendia, e o doutor, resolveu usar uma linguagem mais “terra a terra”: -Olhe lá, quantas vezes vai à “casinha”? -Se “dotor” ! Uma ! -Então isso não é o que vocês julgam. As dores devem ter outra razão. Uma só vez, não é nada. -Se “dotor” , mas das outras vezes é “antre o milho”. --------- (1) - BANDALHO é o peixe que preso nas redes acaba por morrer e devido ao meu tempo, não pode ser recolhido e mantendo-se no mar por alguns dias não pode ser vendido na lota e a pescaria aproveita para as caldeiradas.
publicado por Varziano às 14:42

########################## NÃO SE AFLIJA, JÁ NÃO MORA LÁ NINGUEM Carreira das oito. O autocarro à cunha. Não admira, é a hora de ir para os empregos e aulas. Lugares não ocupados, nem vê-los. Na paragem um octogenário aguarda e faz sinal. O motorista, como é de sua obrigação, para e abre a porta e em sonora voz, diz : “Por favor, um lugar para este senhor”. Prontamente uma jovem passageira acede ao pedido, pois estava sentada no banco destinado a deficientes, pessoas idosas, grávidas e ou com bebés ao colo. Em frente outras jovens, e uma delas repara que o simpático velhinho tinha a braguilha aberta. Achando descuido do velhote, recomenda-lhe : -Ó SENHOR, FECHE A SACRISTIA !... Imperturbável, a resposta de agradecimento, veio pronta : - OBRIGADO MENINA, MAS NÃO SE PREOCUPE ! JÁ LÁ NÃO MORA NINGUÉM !
publicado por Varziano às 14:40

ISSO É CÁ . . . Família tradicional portuguesa – o patrão, a patroa, dois filhos, a cozinheira e a criada de quarto e serviço. Reunidos os patrões vai estabelecer-se o diálogo : : - Xico, fala a patroa :- “Sabes que a nossa criada de quarto está à espera de bebé?” Responde o Xico : “Isso, é lá com ela” ! De novo a patroa :- “Mas sendo assim, não a podemos ter cá em casa !” E o Xico à vontade :-“Isso, é lá contigo!” E agora a patroa não se cala :- “Mas dizem que o pai és tu!” E o Xico responde :- “Isso, é cá comigo!” E assim, ponto final no diálogo !... ««««««««««»»»»»»»»
publicado por Varziano às 14:35

FLAGRANTES DA VIDA REAL RECEITA MEDICINAL Dores constantes, mau estar a toda a hora, rabujice e outras más disposições do Zé da Aurora, levaram a que tia Aurora, procurasse o médico e lhe expusesse o estado do seu “home”. :- Então o que a traz por cá, senhora Aurora ? - Se “dotor”, o meu “home” não anda nada bem. É todo o dia a queixar-se, é a toda a hora, amarrado à barriga, e vai daí “num tenho uma horinha de sossego”. Queria ver se o se “dotor”, lhe dava um remédio para o curar. Eu queria trazê-lo. Mas ele teimoso que nem um burro, não quis, diz que “isto passa”, mas já vão um ror de dias e “num” ata nem desata. :-Olhe lá, ele faz bem ? Isto é não está preso ? - Isso não sei bem, mas parece-me que ele vai de vez em quando à casinha. - Bom pergunte-lhe e sempre será bom fazer uma limpeza aos intestinos. - A quê, se “dotor” ? - À tripa. Você tem lá em casa um irrigador ? - “Atão, num” devia de ter ; é coisa que sempre o uso. - Então lance dentro uma canada de água, e junte-lhe uma colher de azeite e depois com cuidado, meta-lhe a cánula no rabo e ele que aguente um pouco e assim deve melhorar. Por certo é prisão de ventre. Percebeu ? E amanhã diga alguma coisa. No dia seguinte a tia Aurora aparece, muito consumida, e o médico pensando que alguma coisa tinha corrido mal, interroga-o : -Então o seu marido está melhor ? - Se “dotor” está na mesma ? - Não lhe deu o clister ? - Ó se “dotor”, eu bem queria mas ele dizia “ó mulher tu não vês que isso não cabe?” Bem “tentei”, mas ele não deixou. -Ó mulher como não cabe, que é que usou ? -Se “dotor”, em bem despejei a canada de água e a colher de azeite, mas não valeu de nada. Teimoso não deixou que fizesse aquilo que mandou. -Mas a cánula é tão fina, como é que não cabia ? Onde é que você arranjou o irrigador? -Foi no quintal, o de regar as “coivas”. ##################
publicado por Varziano às 14:30

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
22

25
26
27
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO