02
Jun 10

               L  I  B  E  R      F  I  D  E  I

 

                                       S A N C T AE   B R A C A R E N S I S   E C C L E S I AE

 

A edição crítica do Cartulário LIBER FIDEI, compilada pelo Padre Avelino de Jesus Costa, Cónego e Professor Doutor da Universidade de Coimbra, publicada pela Junta Distrital de Braga, em três tomos, cujo primeiro tem a data de 1965, o segundo 1978 e finalmente o terceiro 1990, é um trabalho de grande fôlego e canseira que o insigne investigador nos deixou.

 Felizmente conseguiu ver publicada a cópia do Liber completa com o terceiro e último tomo, pouco tempo antes da sua morte, ele que tudo fez para que esta monumental obra não ficasse no esquecimento e no pó dos arquivos. Sacrificando a sua débil saúde, ao longo desse dilatado período de 25 anos, alternando com outros trabalhos de enormíssimo mérito, não descansou até que viu compensado o seu labor. Por certo, não fora inusitado e louvável esforço, lutando tenazmente, apesar do seu franzino corpo, este cartulário, de sumo interesse para a história da igreja bracarense dos primeiros séculos depois da reconquista cristã de Braga, ficaria ainda por longos anos no olvido.

 Reproduzindo documentos desde a centúria de 500, vai num total de 953, o último dos quais é de 12 de Julho de 1712, data, já fora do contexto original, e que tem o número de 954, que no resumo devido Avelino de Jesus Costa, narra :

“O Cabido aceita e aprova o Breve em que Clemente X concedeu que todos os membros do Cabido e mais beneficiários da Sé recebessem o primeiro ano depois da sua morte para com ele se poderem fazer os sufrágios e pagar qualquer dívida, se a houvesse”.

Ficou conhecido este Breve por ANO DO MORTO.

Para o arciprestado de Vila do Conde / Póvoa de Varzim, tem o cartulário bastante interesse, pois, para cada uma das agora cidades, refere pelos menos dez documentos, ao mesmo tempo que pela sua análise tomamos conhecimento de que, pelos princípios do segundo milénio, o clima da costa Norte era muito diferente do actual, dada a enorme profusão de salinas que se encontravam em exploração desde a foz do rio Ave, até Viana.

Assim, quanto ao concelho da Póvoa de Varzim, encontramos no :

PRIMEIRO TOMO

Sobre Sesins, Amorim, onde pertencia Aver-o-Mar (Abonemar no Cartulário):

            documento nº 146, datado de 22 de Novembro de 1098:

            “O presbítero Mendo vende a arcediago Guido metade do que possui em Sesins, Amorim ( concelho da Póvoa de Varzim);

            documento nº 150, com data de 25 de Outubro de 1099:

   “O arcediago Guido doa a São Geraldo e à Sé metade do que tem em Sesins…,intervindo na doação os herdeiros desta vila”:

           documento nº 153, com a data de 30 de Março de 1100:

                        “ Mendo Tructiz vende a São Geraldo parte do que possui em Sesins…”

No lugar de Cadilhe :

            documento nº 152, datado de 19 de Março de 1102:

                         “ Alvito vende ao arcediago Guido metade de uma leira em Cadilhe…”

NO SEGUNDO  TOMO

Sobre Murgatães:

documento nº 341, com a data de 20 de Julho de 1106: “Guterre Soares doa à Sé de Braga a oitava parte dos bens que possui em Murgutães”

  TERCEIRO   TOMO

De novo em Sesins :

Documento nº 645, data de 30 de Março de 1100:

“ O presbítero Mendo Tructiz doa à Sé de Braga uma herdade em Sesins… e outros bens na mesma região”

            Documento nº680,  de 25 de Outubro de 1100:

“ O arcediago Guido doa à Sé de Braga os bens imóveis que possui em Sesins e um barco, um boi e três ovelhas”

DE HEREDITATIBUS DE SESIM PROPE  ABONEMAR

             documento nº 616, refere-se a um testamento a favor da Sé de Braga, feito 1078 (?):

            “ Foila Crescones, encontrando-se doente, faz testamento em favor da Sé de Braga, … do mosteiro de Rates, de outras igrejas e de diversas pessoas:

… et Arias  Petriz Iº bove et Sancto Petro de Ratis Iª vacca et XII modios de pan…”

V I L A    D O    C O N D E

                                                           PRIMEIRO  TOMO

Documento  nº 108, com data de 2 de Abril de 1081:

“ Dolquite Moniz e esposa Elvira Pais vendem ao diácono Galindo Alvites a sexta parte dos bens que possuem em Mindelo…com as respectivas pesqueiras.”

Documento nº 110, de 30 de Dezembro de 1082:

“O diácono Galindo Alvites doa à Sé de Braga a sexta parte da vila e da igreja de Mindelo…com as suas pesqueiras, que comprou a Dolquite Moniz e esposa.”

TERCEIRO  TOMO

Documento nº 612, com data de 29 de Junho de 1082:

“O diácono Galindo Alvites doa à Sé de Braga a sexta parte da vila e igreja de Mindelo…com as suas pesqueiras.”

Documento nº 746, com a data de 1 de Maio de 1127:

“ Gonçalo Fernandes troca com a Sé de Braga a sua herdade… e em Mindelo”.

Documento nº 777, de 22 de Janeiro de 1151:

“ Paio Soares, em  satisfação pelo sacrilégio cometido no mosteiro de Lagoa (conc. de V. N. de Famalicão), doa à Sé de Braga, com reserva de usufruto, o casal da Fonte, no lugar do Freixo, Guilhabreu.”

S   A   L   I   N   A  S  

 T  O  M  O    P  R  I  M  E  I  R  O

VILA DO CONDE

 Documento nº 103, datado de 27 de Julho de 1078 :

“ Froila Crescones doa ao bispo D. Pedro… cinco salinas na foz do Ave.”

Documento nº 104, 28 de Janeiro de 1078 :

“ Froila Crescones doa a Sé… doze talhos de salinas em Vila do Conde e outros bens.”

Documento nº 155, de 14 de Novembro de 1100 :

“ O presbítero Randulfo Leovegiz doa à Sé de Braga duas salinas em Vila do Conde.”

T O M O    S E G U N D O

      D A R Q U E  ( Viana do Castelo )

Documento nº 288, 17 de Abril de 1085:

“Gomes Eitaz e Sesnando Vital e esposas doam ao mosteiro de Santo Antonino três salinas em Darque.”

Documento nº 290, de 2 de Março de 1085:

“ Anagildo e esposa vendem ao abade e frades de Santo Antonino duas salinas em Darque.”

Documento nº 294, 18 de Fevereiro de 1086 :

“ Aires Sandiz e outros doam ao mosteiro de Santo Antonino seis salinas em Darque.”

Documento nº 304, de 24 de Junho de 1091 :

”Sesnando Vidal doa ao mosteiro de Santo Antonino duas salinas em Darque.”

FÃO ( Esposende )

Documento nº 462, Abril de 1135 :

“ Aires Teles e mulher vendem ao arcebispo  de Braga dezanove salinas em Fão.”

TOMO  TERCEIRO

 VILA DO CONDE

Documento nº 615, 27 de Julho de 1078 :

“Froila Crescones doa ao bispo D. Pedro … cinco talhos de salinas na foz do rio Ave.”

Documento nº 616, 1078 (?):

“Froila Crescones, encontrando-se doente faz testamento … pro darent Sancto Isidori pan in adiutorio et pro Bracara XII talios de salinas in Villa de Conde e una mula.”

FÃO ( Esposende )

Documento nº 695, de 21 de Abril de 1111 :

“Paio Forjaz doa à Sé de Braga algumas salinas em Fão (Esposende), umas directamente, e outras no caso de sua filha não ter descendência legítima.”

Documento nº 721, de Abril de 1135 :

“Aires Teles e sua mulher vendem à Sé de Braga dezanove salinas em Fão.”  

 

 

Braga, 14 de Fevereiro de 2008

 

                                                                      LUÍS COSTA

   

 

 

 

 

 

 

        

         

 

  

 

publicado por Varziano às 16:18

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO